Notícias


Em complexa operação, Governo transporta três bebês e dois adultos de Rio Grande para Canoas

Mais de 50 profissionais, entre FAB, Força Nacional do SUS, bombeiros e Samu foram acionados para realizar esse transporte
20/05/2024 Portal Brasil - Foto: FAB / Divulgação
Anterior Próximo

Na tarde de domingo, dia 19 de maio, três bebês recém nascidos e dois adultos em estado grave de saúde que estavam no Hospital da Universidade Federal de Rio Grande, precisaram ser removidos para Canoas (RS) em uma operação complexa.


A capacidade da unidade de saúde estava comprometida em função das enchentes. A cidade de Rio Grande está alagada e o hospital, comprometido. Então, a evacuação, principalmente das crianças, tinha que ser imediata"

 

Para garantir o transporte seguro dos pacientes, a ação contou com o envolvimento de mais de 50 profissionais, entre integrantes da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS), Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), além da Força Aérea Brasileira, responsável pelo voo.


Os pacientes foram transportados em segurança até a Base Aérea de Canoas (BACO). De lá, foram encaminhados para unidades de saúde de referência da região. "A cidade de Rio Grande está alagada e o hospital está comprometido. Então, a evacuação, principalmente das crianças, tinha que ser imediata. E devido à estrutura das estradas e à gravidade da saúde delas, a melhor opção era o transporte aéreo", afirmou o capitão Vinicius Guimarães Tinoco Ayres, da equipe médica da FAB.


A aeronave empregada foi um C-105 Amazonas, configurada como UTI Aérea. O comandante da aeronave, Cleber de Souza Nichelli, comentou sobre os desafios logísticos. "Pousamos em Rio Grande com a meteorologia adversa. Era um desafio que já estávamos esperando, somado com uma pista que está em obras. Tendo em vista o objetivo da missão, empregamos o máximo da nossa capacidade operacional em prol dessas vidas", contou.



Para conferir as últimas notícias, acesse aqui. Siga o site Portal de Camaquã, nas redes sociais:  





MAIS NOTÍCIAS