Notícias


Enchentes do RS: Oi vai instalar WiFi com sinal aberto em abrigos, visando a comunicação das pessoas

A companhia está disponibilizando o e-mail os responsáveis pelos abrigos contatem a empresa e autorizem a instalação dos equipamentos
17/05/2024 FSB - Foto: Divulgação

A Oi vai instalar WiFi com sinal aberto em abrigos no Rio Grande do Sul para permitir a comunicação das pessoas que estão desabrigadas pela tragédia climática que atingiu o estado e também o acesso gratuito à internet pelos voluntários e órgãos públicos que trabalham nos locais. A companhia está disponibilizando o e-mail oipelors@oi.net.br para que os responsáveis pelos abrigos contatem a empresa e autorizem a instalação dos equipamentos.


Nesta semana os primeiros abrigos já começam a ter acesso à internet, iniciando por Porto Alegre, que terá suporte das redes da Oi e da V.tal, empresa detentora da maior infraestrutura de fibra óptica na região. A instalação começou pelo Ginásio da Brigada Militar e será ampliada para outros abrigos que necessitem da comunicação e disponham de viabilidade técnica da rede. O mapeamento está sendo feito com autoridades dos governos municipal e estadual.

A empresa também está atuando para garantir o fornecimento da conectividade aos seus clientes corporativos, órgãos públicos e o atendimento aos serviços de emergência.


Estamos trabalhando incansavelmente para colocar a infraestrutura da Oi a serviço do Rio Grande do Sul e manter a comunicação disponível”, afirmou o diretor de Operações da Oi, Gustavo Brambila, lembrando que a empresa também é a principal responsável pela interconexão dos serviços de voz no estado e com outras unidades federativas e possui 24 mil links de dados atendendo redes corporativas em todo o estado.


Nossa prioridade é também garantir a conexão à internet aos nossos clientes no Rio Grande do Sul, onde a companhia é a principal empresa de banda larga”, reforçou o head da Oi Fibra, Fabricio Bindi.


Operação especial - Nos últimos 15 dias, ações da operação especial montada pela Oi registraram mais 1.200 eventos tratados pelas equipes de suporte e de campo, para garantir continuidade da comunicação entre os municípios.


Nas situações em que houve isolamento de municípios provocados por inundações, desmoronamento de barreiras e incidentes em rodovias, como queda de pontes, a empresa atuou com celeridade, inclusive criando rotas alternativas para restabelecer a comunicação dos locais afetados. A Oi também atuou em 300 ações de recuperação ou contingenciamento de serviços tridígitos de utilidade pública, permitindo o atendimento à população.


A companhia vem trabalhando ainda na manutenção das infraestruturas de energia e climatização nas estações da empresa e também com mobilização logística especial para garantir o suprimento de materiais, equipamentos, combustível para as frotas e estações e água para infraestrutura de climatização.


Essas estações concentram o tráfego de diversos serviços, como a banda larga e links de redes corporativas e de governos, além de fazerem a interligação do Rio Grande do Sul com outros estados do país, saindo por Florianópolis e Curitiba.


Foram feitas ainda mais de 400 atuações em links de comunicação de dados envolvendo migrações, refiliações interestaduais e atendimento a novos serviços para clientes críticos, que tiveram suas infraestruturas e data centers inundados ou impactados e precisaram criar alternativas para funcionamento das suas redes.


A malha de fibra ótica da V.tal que a Oi usufrui no Rio Grande do Sul é bastante robusta e está entre as maiores do país, o que tem permitido o atendimento e o roteamento das redes, mantendo a conexão ou restabelecendo rapidamente os serviços interrompidos. As redes de fibra, muitas vezes, seguem as obras civis de rodovias e ferroviais, e nestes casos estão enterradas e também submersas. Ou seguem por vias aéreas de alta tensão de energia, que também podem sofrer interrupções por chuvas fortes e ventos.


A empresa também adotou medidas emergenciais para os clientes, como a postergação do vencimento das faturas por 10 dias, a partir do ciclo de vencimento dos clientes e isenção de ações de cobrança. Também foi criada no callcenter uma ilha específica para dar agilidade ao atendimento das demandas de clientes do estado. “Não queremos ser um problema a mais para o cliente”, reforçou Bindi.

Em outra frente a Oi está prestando todo o apoio necessário aos seus colaboradores e familiares, que estão trabalhando na operação no Rio Grande do Sul. Foram concedidos benefícios excepcionais, como créditos adicionais no ticket alimentação, auxílio de medicamentos estendido e assistência psicológica ampliada. Além das adequações e liberações da jornada de trabalho, esses colaboradores também estão recebendo apoio financeiro com recursos monetários extras e condições facilitadas de acesso a crédito.



Para conferir as últimas notícias, acesse aqui. Siga o site Portal de Camaquã, nas redes sociais:  





MAIS NOTÍCIAS