Notícias


Enchentes no RS: rodovias do Bloco 3, no Vale do Caí e Serra Gaúcha, estão liberadas para o tráfego

Nesta quinta-feira, foi liberado o último trecho que estava bloqueado na estrada ERS-122
16/05/2024 Texto: Lucas Barroso/Separ e Comunicação CSG | Edição: Secom RS - Foto: Comunicação CSG

Os 271,5 quilômetros de rodovias estaduais do Bloco 3 de concessões, no Vale do Caí e Serra Gaúcha, já estão liberados ao tráfego depois das chuvas que assolaram o Rio Grande do Sul.


No fim da tarde desta quinta-feira, dia 16 de maio, foi liberado o último trecho que estava bloqueado na estrada ERS-122, entre o km 39 e o km 51, nos municípios de São Vendelino e Nova Milano (Farroupilha), pela concessionária Caminhos da Serra Gaúcha (CSG), que administra as rodovias do bloco.


A intervenção neste trecho, considerado o mais complexo, começou em 30 de abril, em razão de deslizamentos de encostas, desmoronamentos e afundamentos de pista em diversos pontos.


O secretário de Parcerias e Concessões, Pedro Capeluppi, destacou que, mesmo com todas as dificuldades impostas pelo clima e relevo das regiões atingidas, a CSG atuou para dar condições de tráfego de forma mais ágil.


"Acompanhamos de perto os trabalhos emergenciais e de recuperação promovidos. A concessionária está atuando de forma exemplar e alinhada com os órgãos públicos, nas rodovias do Vale do Caí e Serra. As equipes trabalharam com agilidade e segurança, possibilitando que veículos de emergência e cidadãos consigam utilizar nossas estradas estaduais", disse.


Interdição da rodovia CSG

As equipes da concessionária ainda trabalham em intervenções nas rodovias que compõem o Bloco 3; porém, a trafegabilidade, principal objetivo do momento, foi recuperada. “Com essa liberação, facilitamos o acesso ao aeroporto Hugo Cantergiani, em Caxias do Sul, que tem sido uma das principais ligações com outros estados devido ao fechamento do Salgado Filho, na capital gaúcha. Essa estrada também tem uma relevância enorme para o escoamento da produção, deslocamento de veículos em atendimentos de saúde e do próprio acesso dos moradores das localidades que ficam próximas à rodovia”, afirmou o diretor-presidente da CSG, Ricardo Peres.


Ocorrências registradas


A ERS-122 foi a rodovia com a maior incidência de sinistros durante as fortes chuvas, com 82 ocorrências, seguida pela ERS-446, com 16 registros. Ainda ocorreram oito intercorrências nas rodovias BRS-470 e RSC-453 e outras cinco na ERS-240. O único trecho sem alterações foi na ERS-287.


Em 15 dias, em todo o perímetro concedido à CSG, foram registrados 69 deslizamentos de barreiras e pedras, 28 pontos de acúmulo de água na pista, 10 pontos de erosão de cabeceiras e de asfaltos, 15 quedas de árvores e 120 canaletas e valas obstruídas, além de dois afundamentos e fendas de pavimentos.


Bloco 3


O Bloco 3 compreende 271,5 quilômetros de estradas localizadas na Serra e no Vale do Caí. Fazem parte da concessão as rodovias ERS-122 (km 0 ao km 168), ERS-240 (km 0 ao km 33), RSC-287 (km 0 ao km 21), ERS-446 (km 0 ao km 14), RSC-453 (km 101 ao km 121), BR-470 (km 220 ao km 233). Outras informações sobre bloqueios nas rodovias do Bloco 3 podem ser obtidas em csg.com.br.


Para conferir as últimas notícias, acesse aqui. Siga o site Portal de Camaquã, nas redes sociais:  

WHATSAPP - Para se cadastrar automaticamente no grupo, clique neste link.

TELEGRAM - Para se cadastrar automaticamente no grupo, clique neste link.

YOUTUBE - Para se cadastras no canal, clique neste link.

INSTAGRAM - Para se cadastrar no canal, clique neste link.





MAIS NOTÍCIAS