Notícias


Como aplicar os princípios da segurança dos alimentos no dia a dia

Nutricionista e docente da Faculdade Senac Porto Alegre dá dicas sobre como cuidar dos alimentos de maneira correta
10/06/2021 Usine de Notícias – Foto: Divulgação

Na segunda-feira, dia 7 de junho, é celebrado o Dia Mundial da Segurança dos Alimentos. Mas, afinal, o que é Segurança dos Alimentos? Primeiramente, é importante destacar que Segurança Alimentar e Segurança dos Alimentos não são a mesma coisa.

Cadastre-se no nosso Grupo de Notícias do Whatsapp e receba novas informações todo o dia. Você receberá mensagens apenas da nossa redação. Clique neste link.

Conforme a ISO 22000, norma que trata dos requisitos para a implementação de sistemas de gestão da qualidade e segurança dos alimentos, a Segurança dos Alimentos é definida como: “Garantia de que o alimento não causará efeitos adversos à saúde do consumidor quando for preparado e/ou consumido de acordo com o uso pretendido”.

Já a Segurança Alimentar, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura - FAO, refere-se a outra garantia, a de que todas as pessoas tenham acesso regular e permanente a alimentos de qualidade e em quantidade suficiente, sem comprometer a disponibilidade a outras necessidades essenciais.  

Ou seja, a Segurança dos Alimentos tem o foco na prevenção de contaminação, seja proveniente de microrganismos causadores de doenças, resíduos químicos ou outros perigos capazes de prejudicar a saúde de quem consome esses alimentos. A nutricionista e docente da Faculdade Senac Porto Alegre, Cristina Frantz, fala sobre quais são os 5 passos para cuidar dos alimentos. "É bastante simples adotar os princípios de Segurança dos Alimentos no dia a dia. Segundo a OMS, basta aplicar as 5 chaves para uma alimentação segura". Confira:

1 – Mantenha a limpeza

Antes de manipular alimentos, retire adornos e higienize as mãos adequadamente. É muito importante manter as unhas curtas e limpas. Proteja os cabelos para evitar que caiam sobre os alimentos. O ambiente de manuseio de alimentos também deve ser mantido limpo e organizado. Deve-se higienizar sempre após e antes do uso os utensílios, os eletrodomésticos e as superfícies da cozinha. Além disso, se preocupe em proteger as áreas de manipulação de alimentos de insetos, pragas e animais domésticos.

2 – Separe alimentos crus de alimentos cozidos

Utilize equipamentos e utensílios diferentes para alimentos crus e cozidos, como placa de corte e facas, por exemplo. Guarde alimentos em embalagens ou recipientes fechados para que não haja contato entre esses alimentos. Alimentos crus são fonte de microrganismos que podem ser perigosos à saúde.

3 – Cozinhe bem os alimentos

Especialmente carnes, peixes e ovos. Quando crus ou mal passados esses alimentos podem conter microrganismos perigosos. As carnes devem soltar líquidos claros e não avermelhados, a gema dos ovos deve estar dura. É importante que a temperatura de cozimento atinja no mínimo 70°C para a destruição desses microrganismos. Alimentos que serão consumidos crus, tais como frutas de hortaliças, devem passar por higienização. Para isso, utilize um recipiente e prepare uma solução com 200ppm de cloro (1 colher de sopa de água sanitária própria para alimentos em 1 litro de água). Lave os alimentos em água corrente, coloque os alimentos imersos na solução por 15 minutos, enxágue e utilize nas preparações.

4 – Mantenha os alimentos em temperaturas seguras

Os microrganismos perigosos podem se reproduzir rapidamente nos alimentos que estão em temperatura ambiente. Por isso, após as refeições, ou assim que forem cozidos, armazene os alimentos em recipientes e leve à refrigeração abaixo de 5°C o mais rápido possível, ou mantenha os alimentos aquecidos acima de 60°C, em banho-maria, por exemplo. Não é recomendado que fiquem mais do que 2h expostos à temperatura ambiente.

5 – Use água e matérias primas seguras

É muito importante conhecer a procedência dos alimentos e utilizá-los dentro do prazo de validade. Durante a compra, procure ler o rótulo e observar se existem informações sobre o fabricante, se ele possui registro nos órgãos competentes, se os produtos são inspecionados (obrigatório para carnes e outros alimentos de origem animal). A água também deve ser de fonte segura, ou seja, potável, sendo filtrada ou mineral.

Com a pandemia da Covid-19, os protocolos de higiene redobraram. Segundo Cristina, ainda não existem evidências de que o SARS-COV 2 seja transmitido por alimentos. Porém, quando se trata de uma doença nova, aumentar os cuidados durante a manipulação dos alimentos é uma estratégia fundamental para afastar qualquer perigo do prato. "Após as compras também é importante higienizar bem as mãos. Borrifar as embalagens com álcool antes de guardar, lavar com detergente e enxaguar com água antes de abri-las", reforça.  

"Para mim, esse é um dia muito importante, pois visa comemorar o avanço conquistado na área de Segurança dos Alimentos, tanto em relação aos aspectos técnico científicos, como de políticas e regulamentos que sustentam e subsidiam a execução do controle das boas práticas em toda a cadeia produtiva de alimentos", pondera a nutricionista.

Para ela, com a chegada da pandemia, as pessoas começaram a entender a importância de lavar as mãos, de higienizar frequentemente superfícies, aprenderam a desinfetá-las corretamente com os produtos mais adequados, como o álcool 70% e a solução clorada. "Acredito que quanto mais as pessoas praticarem as 5 chaves da OMS para uma alimentação segura e continuarem com bons hábitos de higiene, teremos menos ocorrências de doenças transmissíveis por alimentos e maior proteção à saúde da população brasileira”, finaliza Cristina. 

MAIS NOTÍCIAS