Notícias


Polícia Civil prende, preventivamente, avô acusado de estuprar a neta e tentar interferir nas investigações

Acusado começou a se masturbar na frente dela e, após alguns desses acontecimentos, passou a abusar sexualmente da menina
15/04/2021 Texto e foto: Polícia Civil

A Polícia Civil, nesta quinta-feira, dia 15 de abril de 2021, prendeu preventivamente um homem de 59 anos pela prática de estupro de vulnerável contra a sua neta de 12 anos de idade.

Segundo o relato da vítima, o acusado começou a se masturbar na frente dela e, após alguns desses acontecimentos, passou a abusar sexualmente da menina, praticando atos de cunho sexual de modo costumeiro e reiterado.

 A vítima ainda relatou que o acusado a limpava com lenços umedecidos para que não ficasse nenhum vestígio dos atos sexuais em seu corpo. Segundo a vítima, o acusado expulsou a mulher dele (avó da menina) do quarto do casal e dizia para a adolescente que mandaria a esposa embora e compraria uma casa nova para ter uma vida de casal com a própria neta, pois era apaixonado por ela.

A vítima morava com os avós paternos e os estupros ocorriam quando a avó da menina se ausentava para ir trabalhar. Conforme o relato das testemunhas, no dia em que a vítima contou aos familiares sobre os abusos, foram encontrados na casa preservativos, lubrificantes e lenços umedecidos, os quais eram usados pelo acusado.

Com a revelação dos fatos houve intensa discussão familiar, após o investigado pegou tudo o que estava na casa e poderia comprometê-lo e fugiu.

Com o inquérito policial em fase final de instrução, já havendo inclusive medida protetiva que vedava o contato do investigado com a vítima, o preso persistia em manter contato com a menina por whatsapp, tendo inclusive se dirigido de madrugada até a cidade de Bom Retiro do Sul, local em que deixou dinheiro e um chip de telefonia celular com crédito para possibilitar a fuga da menina da casa do pai.

Conforme depoimento prestado pelo acusado, este revelou que teria ido de Canoas a Bom Retiro do Sul para levar dinheiro e o chip para a vítima, porém alegou que a menina seria levada para a casa da avó e não para a casa do investigado.

Que ainda combinou com a vítima de esconder o dinheiro e o chip em uma cerca, próximo à residência do pai da vítima, detalhando ter estacionado o carro bem longe da residência, para evitar ser flagrado, agindo de madrugada.

Mais informações com a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente de Canoas – DPCA/Canoas


MAIS NOTÍCIAS