Notícias


Prefeitura de Jaguarão e Sindicato Rural tratam sobre projeto de monitoramento da área rural

A classe tem sido lesada frequentemente pela ação dos abigeatários
13/04/2021 Texto e foto: Prefeitura de Jaguarão

Na quinta-feira, dia 8 de abril de 2021, pela manhã, o Prefeito de Jaguarão, Sr. Favio Telis, juntamente com o vice-prefeito Rogério Cruz e com o secretário de Desenvolvimento Rural, Lindolfo Holdefer, recebeu em seu gabinete, o presidente do Sindicato Rural de Jaguarão, Hélio Jacques Affonso, acompanhado pelo produtor Edson Ferreira para tratar sobre uma proposição de monitoramento da área rural do município.

Segundo os produtores rurais, a classe tem sido lesada frequentemente pela ação dos abigeatários e, conhecem as deficiências do sistema de segurança do Estado, principalmente na questão da falta de efetivo nas forças policiais.

Diante dessa situação vieram ao prefeito Favio Telis para buscar uma alternativa, de parceria, no sentido de implantar algum sistema de alta tecnologia capaz de reduzir ou, até mesmo, cessar os prejuízos dos produtores rurais de Jaguarão e região.

Num primeiro momento fora apresentado pelos produtores, um mapeamento com a utilização de câmeras de vídeo monitoramento espalhadas por diversos locais da zona rural, tendo acesso através de uma central.

Após ouvir os produtores, o prefeito lembrou que no ano passado, protocolou um projeto junto ao Governo Federal, no valor aproximado de R$ 1 milhão, para cercamento eletrônico de toda a área do município, urbana e rural e, ainda não obteve resposta.

O prefeito informou aos produtores que a contratação de uma empresa especializada em videomonitoramento seria mais viável, pois estabeleceria o serviço completo, com equipamentos adequados às necessidades do município.

“Podemos buscar uma alternativa através do Consórcio Público do Extremo Sul, inclusive para estender este tipo de serviço para outros municípios da região”, diz Favio Telis que é o atual presidente do Consórcio, lembrando que o abigeato é um problema que atinge a grande maioria dos produtores rurais.

Um novo encontro será realizado, onde os produtores apresentarão empresas especializadas que possam prestar o serviço necessário para tentar reprimir a prática de crimes de abigeato que se constituem em enorme prejuízo para a classe produtora.

MAIS NOTÍCIAS