quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

PELOTAS - GRUPO THOLL TEM ATIVIDADES AÉREAS SUSPENSAS APÓS MORTE DE INTEGRANTE

As atividades aéreas do Grupo Tholl foram suspensas na tarde de segunda-feira, dia 4 de fevereiro de 2019, pela Gerência Regional do Trabalho, em Pelotas, no Sul do estado.

Uma inspeção no local dos treinos revelou "insuficiência de medidas de proteção contra quedas em altura, em especial a falta de colchões, além de problemas estruturais nos aparelhos".

O diretor artístico do Tholl, João Bachilli, diz que o grupo vai aproveitar o mês de férias coletivas para se adequar às novas exigências.

"Nosso técnico em atividades circenses aéreas estava presente na reunião com o Ministério Público do Trabalho. Já houve também a manifestação de uma empresa local de segurança aérea do trabalho de fazer, gratuitamente, toda a assessoria que necessitamos e também a contratação de um engenheiro para emitir laudo técnico. Estamos dispostos a atender todas as exigências que o MPT fizer".

O grupo deve iniciar uma campanha para arrecadar recursos para a compra de novos colchões de segurança.

No dia 23 de janeiro, o artista Fernando Domingues, 26 anos, que fazia parte da trupe circense, morreu após cair de um aparelho durante um treino. Ele ficou dois dias internado no hospital, em coma, devido a um traumatismo craniano. A direção do Grupo Tholl diz que o acrobata pode ter sofrido um AVC enquanto treinava, o que teria ocasionado a queda.

De acordo com o Auditor Fiscal do Trabalho, Otávio Rodrigues, Fernando caiu com a cabeça para fora da área de cobertura do colchão de proteção. O artista caiu de uma altura de aproximadamente quatro metros durante uma acrobacia no aparelho conhecido como "quadrante coreano".

"As medidas são para garantir que esses trabalhadores não sofram quedas e, se caírem, que seja numa estrutura segura".

Em registro em vídeo feito uma semana antes da queda de Fernando, uma atleta cai durante o treino, com parte do corpo para fora da área de cobertura do colchão. Ela estava no mesmo aparelho usado pelo acrobata que morreu. O vídeo foi publicado no Facebook do Grupo Tholl e consta no relatório da Gerência Regional do Trabalho.

Em setembro de 2017, o Grupo Tholl já havia realizado uma campanha de arrecadação para aquisição de colchões e equipamentos de segurança novos para os acrobatas.

A interdição é por tempo indeterminado.

De acordo com o diretor artístico do grupo, a suspensão acontece apenas dos aparelhos aéreos. "O centro de treinamento continua com suas atividades normais até a próxima quinta-feira (7), quando começa o período de férias coletivas". (Por G1 RS | Foto: Reprodução)



NOTA DE ESCLARECIMENTO


Treinos de outras técnicas circenses prosseguem normalmente

As atividades em altura realizadas no Centro de Treinamento Tholl estão interditadas desde a segunda-feira, dia 4 de fevereiro de 2019, conforme decisão da Gerência Regional do Trabalho de Pelotas. A medida foi tomada devido à morte por traumatismo craniano do artista Fernando Domingues, após queda de uma altura entre 2,5m e 3,0m do equipamento denominado quadrante coreano. O acidente ocorreu dia 21 de janeiro e Fernando veio a óbito dia 23.

Na sexta-feira passada (1º/02), representante da Gerência Regional do Trabalho esteve no CT do Tholl, notificando seus representantes para reunião na tarde desta segunda-feira, quando o Grupo foi orientado a contratar profissional ou empresa de segurança do trabalho, visando aumentar ainda mais a proteção contra quedas de altura. Importante salientar que os treinos e demais atividades no CT continuam normalmente, exceto os treinamentos em aéreos.

"Até o final de fevereiro, deveremos estar com tudo redesenhado, atendendo as exigências a serem feitas por profissional ou empresa que contrataremos a partir de agora", enfatiza a vice-presidente do Tholl, Simone Lyrio, ressaltando que contatos já estão sendo feitos visando a contratação de profissional do setor.


O Grupo Tholl esclarece que no vídeo apresentado pelo auditor, a pessoa que cai aos 16 segundos é o próprio Fernando Domingues, pois estava em momento de ensaio.

Era a performance que ele usava para encerrar a cena, conforme poderá ser constatado no vídeo em anexo, gravado em recente apresentação pública.

Entendemos como também importante esclarecer que Fernando Domingues caiu de uma altura entre 2,5m e 3,0m e não de 4,0m, conforme está sendo divulgado. 

Saudações circenses! GRUPO THOLL


0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa notícia!

DIVULGUE SUA EMPRESA NO CANAL DE NOTÍCIAS MAIS ATUALIZADO DA REGIÃO

Divulgue sua empresa no canal de notícias mais atualizado da região.

Como diz o ditado: “Quem não é visto, não é lembrado”. No Portal de Camaquã, sua empresa será vista por milhares de leitores todo o dia. E o melhor de tudo, é que o investimento cabe direitinho no seu bolso!

Envie agora mesmo um e-mail para camaquaonline@gmail.com.