quarta-feira, 17 de outubro de 2018

GUAÍBA - PENITENCIÁRIA FEMININA INAUGURA ESCOLA PARA APENADAS

A Penitenciária Estadual Feminina de Guaíba realizou a cerimônia de inauguração do Núcleo Estadual de Educação de Jovens e Adultos (Neeja) Érico Veríssimo na terça-feira, dia 16 de outubro de 2018. 

As aulas já iniciaram com a participação de 85 apenadas. A escola é uma parceria entre a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e a Secretaria Estadual da Educação.

Os professores do Neeja Érico Veríssimo, bem como os que atuam em mais de 40 núcleos presentes nos estabelecimentos prisionais do estado, são capacitados tanto para a parte pedagógica quanto para os aspectos específicos referentes ao sistema prisional. As aulas ocorrem diariamente nas galerias da Penitenciária e as apenadas também contam com um espaço de leitura.

A assistente social da divisão técnica do Departamento de Tratamento Penal (DTP) da Susepe, Cristiane Beil Hartwig, destacou a importância da efetivação dessa política pública. 

“A implantação do Neeja em Guaíba demonstra a preocupação do DTP em fomentar ações de educação, saúde e trabalho para as pessoas privadas de liberdade, numa perspectiva de inclusão e transformação social”, afirmou.

Maura Moisinho, que também atua como assistente social do DTP, disse que a escola é resultado de um longo trabalho e do comprometimento de várias instituições. “Faz parte do nosso trabalho oportunizar aos apenados o acesso à educação. A educação liberta e pode fazer a diferença na vida das detentas.”

O diretor da Penitenciária Feminina de Guaíba, Rogério Mota, reafirmou que a educação é o principal fator de inclusão social. “O cárcere também pode ser um espaço para oportunizar a educação como uma possibilidade de libertação. Esse é um avanço para a Penitenciária, para a comunidade de Guaíba e para o estado do Rio Grande do Sul”, disse.

Para a coordenadora do 12º Conselho Regional de Educação (CRE), Vera Almeida, e para o coordenador da Educação Básica da Secretaria da Educação, Gabriel Pinto da Silva, “o propósito do Neeja é mostrar a educação como um caminho para o futuro das apenadas”, afirmaram. A equipe apontou ainda que a educação auxilia as apenadas durante e após a reclusão.

O Neeja Érico Veríssimo será dirigido pela professora Isabel Calegari. Também estiveram presentes a representante da Promotoria Legal Popular, Marina Toledo; a assessora jurídica do CRE, Cátia Pinto e representantes de outras entidades locais, além de professores e servidores da casa prisional. (Texto: Gisele Reginato/Susepe - Edição: André Malinoski/Secom | Foto: Susepe)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa notícia!

DIVULGUE SUA EMPRESA NO CANAL DE NOTÍCIAS MAIS ATUALIZADO DA REGIÃO

Divulgue sua empresa no canal de notícias mais atualizado da região.

Como diz o ditado: “Quem não é visto, não é lembrado”. No Portal de Camaquã, sua empresa será vista por milhares de leitores todo o dia. E o melhor de tudo, é que o investimento cabe direitinho no seu bolso!

Envie agora mesmo um e-mail para camaquaonline@gmail.com.