domingo, 30 de setembro de 2018

FUTEBOL - COMISSÃO DO INTER APONTA "GESTÃO TEMERÁRIA" COM "FARRA" NO USO DE CARTÕES DE CRÉDITO CORPORATIVO

A Comissão Especial criada dentro do Conselho Deliberativo do Inter entregou no início desta semana o relatório da investigação que apurou suspeitas de irregularidades no clube durante a gestão do ex-presidente Vitorio Piffero (2015 e 2016). 

O documento com 83 páginas, obtido pelo GloboEsporte.com na sexta-feira, dia 28 de setembro de 2018, aponta diversos atos de gestão irregular ou temerária por parte de ex-dirigentes, que teriam causado prejuízos milionários aos cofres do clube.

Entre os 15 pontos analisados pela comissão, cinco foram considerados irregulares e outro teve a documentação encaminhada para análise do Ministério Público. 

As principais irregularidades apontadas são adiantamentos de valores em espécie – que somam cerca de R$ 10 milhões – para o suposto pagamento de obras que não foram encontradas, além de gastos abusivos nos cartões de crédito corporativo do clube.

Conforme o relatório, o então vice-presidente de Finanças (Affatato) retirou 147 adiantamentos entre fevereiro de 2015 e 2016. Todos os saques foram realizados em "dinheiro vivo diretamente do Caixa da tesouraria do clube, em valores que totalizaram mais de R$ 9.900.000,00".

– Diante de todo esse sólido conjunto de provas documentais, constata-se que se formou uma verdadeira organização, responsável por um grande esquema de fornecimento de notas fiscais frias, ideologicamente falsas, com descrições genéricas e numerações sequenciais ou muito próximas, através das quais se justificavam saques em dinheiro no Caixa da Tesouraria do Clube – diz o texto do relatório.

A Comissão realizou investigações em Porto Alegre, nos municípios gaúchos de Viamão, Guaíba, Eldorado do Sul, Imbé, Arroio do Sal e Torres e no município catarinense de Balneário Gaivota. 

Em Arroio do Sal, por exemplo, onde deveria funcionar uma das quatro construtoras que teriam prestado serviços ao clube, nada foi encontrado no endereço informado.

O relatório também aponta gastos que evidenciam uma "verdadeira farra" com o cartões do clube. Entre os anos de 2015 e 2016, somente as vice-presidências de Finanças e Administração do clube, sob o comando de Pedro Afatatto e Alexandre Limeira, respectivamente, gastaram quase R$ 180 mil em 410 refeições. Uma única conta, de um restaurante localizado em um shopping da capital gaúcha, chegou a R$ 1.887,39.

Foram citados como responsáveis pelas práticas quatro ex-dirigentes: o ex-presidente Vitorio Piffero, o ex-vice de Finanças, Pedro Afatatto; o ex-vice de Patrimônio, Emídio Ferreira; e o ex-vice de Administração, Alexandre Limeira. A comissão pede que eles se tornem inelegíveis pelo período de 10 anos em qualquer entidade desportiva profissional, conforme as regras do Profut.

O documento foi enviado à Mesa Diretora do Conselho Deliberativo, ao Conselho de Gestão e ao presidente Marcelo Medeiros para análise. O CD avaliará eventuais medidas judiciais para ressarcimento dos prejuízos causados ao patrimônio do clube. 

Além disso, o relatório também será enviado ao Ministério Público para que investigue possíveis irregularidades na esfera penal.

A Mesa Diretora do Conselho Deliberativo e a Comissão Especial prestarão esclarecimentos sobre os procedimentos relativos à decisão da comissão especial na próxima segunda-feira. (texto Eduardo Deconto, Diego Guichard e Beto Azambuja – Globoesporte - Foto: Diego Guichard)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa notícia!

DIVULGUE SUA EMPRESA NO CANAL DE NOTÍCIAS MAIS ATUALIZADO DA REGIÃO

Divulgue sua empresa no canal de notícias mais atualizado da região.

Como diz o ditado: “Quem não é visto, não é lembrado”. No Portal de Camaquã, sua empresa será vista por milhares de leitores todo o dia. E o melhor de tudo, é que o investimento cabe direitinho no seu bolso!

Envie agora mesmo um e-mail para camaquaonline@gmail.com.