sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

CAMAQUÃ - CASSAÇÃO DE MANDATO DO PREFEITO É ARQUIVADA NA CÂMARA, POR UNANIMIDADE

Após mais de sete horas de sessão, os vereadores de Camaquã, no sul do Estado, decidiram arquivar o processo - desmembrado em duas votações, que levaria à cassação imediata do mandato do prefeito Ivo Lima Ferreira (PSDB). 

O encerramento da sessão aconteceu por volta das 1h50min desta sexta-feira, dia 5 de janeiro de 2018. Os 15 parlamentares votaram pelo arquivamento das denúncias. 

Como na votação eram necessários dois terços dos votos, o presidente da Câmara, Claiton Silva (PDT), também votou contra a cassação. Ainda assim, uma denúncia similar entrará na pauta das sessões no início de fevereiro. O novo processo também poderá ser motivo de perda de mandato.

A peça acusatória, apresentada na Câmara por um morador do município, tem como base dois casos distintos. O primeiro cita uma entrevista concedida pelo chefe do Executivo após uma votação polêmica na Casa em agosto. 

Na ocasião, o governo pretendia aprovar uma medida para cortar pela metade o teto do pagamento de dívidas judiciais de menor valor. Após perder a votação, em entrevista, o prefeito disse que os vereadores visam lucro na política e desafiou os parlamentares a reduzirem os próprios salários. Isso foi usado como base para apontar o crime de quebra de decoro.

Com base na mesma entrevista, o prefeito foi acusado de ter exonerado servidores em cargos de confiança indicados por vereadores que votaram contra o projeto de lei. A mesma denúncia aponta que o chefe do Executivo cometeu improbidade administrativa por não ter respondido dois pedidos de informações no prazo de 30 dias.

Durante os discursos de tribuna, alguns vereadores de oposição afirmaram que iriam votar pelo arquivamento do processo, mas salientaram que a má conduta do prefeito deve servir de aprendizado para evitar erros futuros.

O vereador Ilson Jacobsen Meireles (PP) disse que a fala do prefeito na imprensa desmoralizou todos seus esforços como parlamentar em cinco anos de mandato. Meireles disse que não pode aceitar essa postura do principal mandatário do município.

Vinícios Araújo (PMDB) saiu em defesa do chefe do Executivo, afirmando que o mandatário não teve apoio de sua base quando mais precisou. Na opinião de Araújo, o prefeito tem coragem para administrar a cidade, pois essa função é difícil governar com uma legislação tão dura:

— É lamentável o que estamos vivendo, mas ao mesmo tempo vai ser um grande aprendizado. Hoje, para ser prefeito de um município, tem de se ter coragem e isso o prefeito Ivo está demonstrado que tem.

Em relação à acusação de quebra de decoro, Araújo reconheceu que o prefeito foi forte em suas afirmações, mas demonstrou humildade ao pedir desculpas aos vereadores na casa legislativa.

O parlamentar Marcelo Gouveia (PSB) foi um dos que mais atacou o prefeito. No entendimento do vereador, a postura do chefe do Executivo demonstra atitudes impensadas de alguém que deveria ter controle emocional para administrar um município.

Prefeito promete melhorar diálogo com vereadores

Na manhã desta sexta-feira, dia 5, o prefeito Ivo de Lima Ferreira (PSDB) falou sobre o resultado da votação, que resultou no arquivamento do processo que pedia sua cassação. Ele agradeceu o apoio de setores da comunidade:

— Foram quase 90 dias de sofrimento da minha parte e da minha família. Mas eu tinha certeza na nossa vitória. E isso veio a se confirmar na unanimidade da Câmara de Vereadores. Só posso agradecer aos camaquenses, que me apoiaram. Quero retribuir isso em trabalho para a nossa cidade. 

Um dos episódios que levou o prefeito a julgamento foram ofensas aos vereadores, durante uma entrevista a um portal de notícias local. Sobre a relação com os parlamentares a partir de agora, Ferreira garante que pretende melhorar o diálogo com o Legislativo:

— Fui vereador por dois mandatos em Dom Feliciano, sei a postura que o prefeito tem que ter. Esperamos ter um bom diálogo entre prefeitura e Câmara. Sabemos que são duas instituições que tem de andar juntas para o bem da comunidade.

O prefeito ainda responde a uma segunda denúncia, que deve ser votada até fevereiro. Ele é acusado de ter feito um repasse de R$ 83 mil a uma associação do município sem realização de chamamento público. 

Segundo o prefeito, que se diz "mais tranquilo" em relação ao resultado deste segundo processo, a doação foi feita por meio do Fundo Municipal do Idoso e não houve interferência da prefeitura na escolha da entidade beneficiada.

— Acredito que será um processo mais tranquilo do que esse primeiro. Está tudo muito claro — complementa.

A defesa

No início da sessão, após a leitura do processo contra o mandatário, a defesa do prefeito afirmou que o político não agiu com a intenção de ofender os vereadores, pois sua fala "foi impensada, que não condiz com seu pensamento".

"Pode ter ocorrido no calor da entrevista, de se expressar de maneira equivocada, mas jamais pensou ou quis ofender os nobres vereadores. Trata-se de pessoa que ocupa o cargo de prefeito há poucos meses. Ainda não está acostumado a explicar cada ato na imprensa. Caso sua manifestação tenha de alguma forma se mostrado diversa ao seu pensamento, desde já, esclarece que não foi essa sua intenção", diz um trecho do documento escrito pelo advogado do prefeito.

Quanto ao não cumprimento do prazo de apresentação de informações, a defesa do prefeito argumentou que trocas no secretariado teriam causado a demora na prestação de dados.

"À época, houve troca de secretários. Inclusive, foi nomeado novo titular para a Secretaria Municipal da Cultura, no mês de maio, o que deve ter contribuído muito para que essa informação não chegasse à Câmara Municipal dentro do prazo legalmente concedido. O retardo no envio das informações se originou de fatos alheios a vontade do prefeito", diz um trecho da peça de defesa, lida por vereador em plenário. (ZH – Foto: Prefeitura de Camaquã / Divulgação)


0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa notícia!

DIVULGUE SUA EMPRESA NO CANAL DE NOTÍCIAS MAIS ATUALIZADO DA REGIÃO

Divulgue sua empresa no canal de notícias mais atualizado da região.

Como diz o ditado: “Quem não é visto, não é lembrado”. No Portal de Camaquã, sua empresa será vista por milhares de leitores todo o dia. E o melhor de tudo, é que você o investimento cabe direitinho no seu bolso.

Ligue agora mesmo para o fone (51) 9.9655.0036 - whats (51) 9.8112.1310 ou envie um e-mail para camaquaonline@gmail.com.