sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

SAÚDE - JOHNSON & JOHNSON ANUNCIOU QUE ESTÁ DESENVOLVENDO UMA VACINA CONTRA O ZIKA VÍRUS

A gigante norte-americana do ramos farmacêutico Johnson & Johnson anunciou que a Janssen Vaccines & Prevention B.V., parte da companhia Janssen Pharmaceutical (Bélgica), está trabalhando em parceria com o BIDMC (Beth Israel Deaconess Medical Center), nos Estados Unidos, a fim de validar e acelerar o desenvolvimento de uma vacina contra o zika vírus.

Além do esforço científico, a Janssen Brasil apresentará os resultados do projeto Zikalab, realizado no país desde 2016, para capacitar profissionais de saúde do sistema de público que estão na linha de frente do atendimento à população nas áreas mais afetadas pelo vírus.

As novidades serão compartilhadas durante a estreia brasileira do documentário Unseen Enemy (“Inimigo Invisível”), apoiado pela companhia e que alerta a comunidade global sobre o risco de novas pandemias causadas por vírus, como zika, influenza e ebola. O lançamento acontece no dia 5 de dezembro, em Recife (PE), onde ocorreu a gravação.

Capacitação

Em parceria com o Conasems (Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde) e com o Ipads (Instituto de Pesquisa e Apoio ao Desenvolvimento Social), o Zikalab já capacitou cerca de 7 mil profissionais de saúde em 37 municípios de seis Estados (Pernambuco, Pernambuco, Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Tocantins e Paraíba). O foco é a prevenção e o cuidado para gestantes, mães e bebês com microcefalia.

“O surto do Zika vírus afetou profundamente as famílias e o sistema de saúde do Brasil e exigiu uma rápida e intensa mobilização de todos os setores da sociedade. O Zikalab é um exemplo de como a colaboração entre diversas instituições, sejam elas públicas ou privadas, pode impactar positivamente os desafios de saúde pública”, ressakta Bruno Costa Gabriel, presidente da Janssen Brasil.

“A capacitação permite que os profissionais de saúde estejam habilitados e preparados para responder à ameaça do vírus”, completa Fernanda Pimentel, diretora médica da Johnson & Johnson Consumo para a América Latina. Até o momento, a empresa já investiu cerca de R$ 2,3 milhões em apoio ao País no enfrentamento da doença.

Além dessa colaboração, a Janssen faz todos os esforços em busca de um imunizante contra o zika, por meio da sua inovadora plataforma AdVac, que permite o desenvolvimento mais rápido de uma variedade de candidatos a vacinas baseadas em vetores de adenovírus para uma série de doenças.

Testada pelo BIDMC, a vacina forneceu, em um estágio inicial, segundo estudo pré-clínico, proteção completa contra o zika, após uma única imunização em primatas, tornando-a uma candidata promissora para testes em seres humanos.  “Nossa parceria une mentes científicas brilhantes e recentes tecnologias, em um esforço para desenvolver a vacina”, salienta a Johnson.

Outro exemplo de intercâmbio científico foi o apoio a estudos da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) sobre o zika vírus, em 2016. Pela primeira vez, um projeto brasileiro venceu um desafio do JLabs – rede de incubadoras da plataforma de inovação externa global da Johnson & Johnson.  

Durante seis meses, a pesquisadora Leda Castilho e sua equipe tiveram acesso a laboratórios de última geração, consultoria e infraestrutura para acelerar o estudo. (Jornal O Sul - Foto: Reprodução)


0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa notícia!

Você é a favor ou contra a compra da Usinde Asfalto para Camaquã, por cerca de R$ 5 milhões?

Você é a favor ou contra o Horário de Verão?

Você é a favor do trânsito na Bento Gonçalves ser única mão, próximo à rótula do Rua 7 de Setembro?

Como você avalia o Governo Ivo, nos três primeiros meses?

Você aprova a alteração de trânsito realizada na Av. Bento Gonçalves esquina com Sete de Setembro?

Você concorda em liberar os CCs de bater ponto, como ocorreu na Câmara de Vereadores da Capital?

O trânsito de Camaquã melhorou com a atuação dos agentes de trânsito?

Vereadores de Camaquã aprovaram o projeto que cria o estacionamento rotativo. Você é: