INFORMATIVO - FRENTE PARLAMENTAR E SINDICALISTAS BUSCAM APOIO DA FAMURS CONTRA A VENDA DE AÇÕES

O coordenador da Frente Parlamentar em Defesa do Banrisul Público, deputado Zé Nunes (PT), e lideranças sindicais reuniram-se na manhã da quarta-feira, dia 8 de novembro de 2017, com o presidente da Famurs e prefeito de Rio dos Índios, Salmo Dias de Oliveira, para debater os impactos e riscos da venda de ações do Banrisul, anunciada pelo governo estadual no dia 4 de outubro. 

O dirigente assegurou que buscará o posicionamento dos gestores municipais que integram as 27 Associações Regionais. “A Famurs representa a maioria dos prefeitos do Rio Grande do Sul. E eu posso dizer que sou pessoalmente contra este processo que o governo do estado está fazendo, até porque o banco dá lucro”, afirmou. 

Zé Nunes salientou que o banco não vai mais poder desenvolver sua parceria com os municípios, ser o repassador de verbas de longo prazo e financiamentos a juros mais baixos. “As manobras de esvaziamento do Banrisul e venda de suas ações, tocadas pelo governo Sartori, vão excluir da carteira do banco a população mais pobres – hoje, 87% dos clientes ganham até três salários mínimo”, assinalou.

“Além de todos estes problemas para a economia dos municípios e da população, o fim do Banrisul como ele é, representará o desemprego de 10.500 funcionários, além dos que trabalham em empresas do grupo e de trabalhadores terceirizados, num número que chega a cerca de 30 mil gaúchos e gaúchas”, destacou o presidente do Sindicato dos bancários de Porto Alegre, Everton Gimenis.

A banrisulense e diretora da Fetrafi-RS, Denise Falkenberg Corrêa, lembrou que o atual movimento do governo Sartori, de vender ações do Banrisul, foi antecedido, em 2007, pela então governadora Yeda Crusius (PSDB). Na ocasião, a tucana autorizou a venda de 43% de ações preferenciais, o que resultou em uma arrecadação de R$ 2 bilhões. 

“Mas a maior parte deste dinheiro sequer ficou no Brasil, foi para investidores estrangeiros”, pontuou a sindicalista. “Este dinheiro se esvaiu e não deixou nada para o Rio Grande, sendo que, em consequência desta venda, nestes dez anos o RS deixou de arrecadar cerca de R$ 2,6 bilhões em dividendos”, informou.

Esta é a segunda visita promovida pela Frente Parlamentar e sindicalistas –a primeira foi à União dos vereadores do RS-, que buscarão outros apoios à campanha contra a venda das ações e desmonte do Banrisul. O grupo pretende percorrer 50 municípios gaúchos para divulgar os efeitos da medida e criou uma página no Facebook para divulgar as ações (https://www.facebook.com/BanrisulPublico/). (Denise Ritter  com informações da Famurs e SindiBancários)


0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa notícia!

Você é a favor ou contra a compra da Usinde Asfalto para Camaquã, por cerca de R$ 5 milhões?

Você é a favor ou contra o Horário de Verão?

Você é a favor do trânsito na Bento Gonçalves ser única mão, próximo à rótula do Rua 7 de Setembro?

Como você avalia o Governo Ivo, nos três primeiros meses?

Você aprova a alteração de trânsito realizada na Av. Bento Gonçalves esquina com Sete de Setembro?

Você concorda em liberar os CCs de bater ponto, como ocorreu na Câmara de Vereadores da Capital?

O trânsito de Camaquã melhorou com a atuação dos agentes de trânsito?

Vereadores de Camaquã aprovaram o projeto que cria o estacionamento rotativo. Você é: