PELOTAS - SEGURANÇA É TEMA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA NA ZONA RURAL

A situação da segurança pública na zona rural de Pelotas foi o tema debatido na audiência pública proposta pelo presidente da Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa, deputado Catarina Paladini (PSB) e pela vereadora Zilda Bürkle. 

Realizada da terça-feira, dia 10 de outubro de 2017, na Comunidade Católica São Pedro Vila Nova, no 7° Distrito de Pelotas, o encontro reuniu dezenas de moradores e representantes de todas as instituições da área da segurança pública. 

“Tivemos a oportunidade de ouvir as principais demandas da população, apresentar propostas de melhorias para a segurança e de acompanhar o anúncio dos reforços previstos para a área, como o concurso para a contratação de mais 80 guardas municipais e a aquisição de 20 viaturas novas”, destacou.

Na avaliação do deputado, a sensação de insegurança e os danos ocasionados pelos crimes cometidos tem sido fatores de grande influência no processo de êxodo rural, o que acaba impactando também no setor produtivo da região e na estrutura urbana da cidade, principalmente em áreas como saúde e educação. “O crime se organiza e se movimenta nas zonas do município, por isso precisamos estar preparados para responder com ações efetivas e que garantam tranquilidade à população”, afirmou Catarina.

Dentre as principais reivindicações e problemas apresentados pela população da zona rural, estão: a crescente prática do crime de abigeato e a necessidade de maior vigilância nos distritos, com a colocação de câmeras de monitoramento, o reestabelecimento de postos policiais e o aumento do número de viaturas e do efetivo responsável por patrulhar os locais. Gilnei Larroque, 42, reconheceu que a Guarda Municipal realiza um trabalho satisfatório, porém relatou que, na sua avaliação, é necessário reforçar as equipes.

Na oportunidade, o secretário Municipal de Segurança Pública, Aldo Bruno Ferreira, afirmou que o município está assumindo sua responsabilidade na área e que a implantação do Grupo Tático Rural (GTAR), designado para atuar exclusivamente na zona rural, é uma demonstração da dedicação da Gestão Municipal. 

Segundo o secretário, cerca de 1.500 intervenções já foram realizadas pela equipe nos distritos do município. “É importante a integração da comunidade e das forças de segurança, principalmente na obtenção de informações e nos serviços de inteligência”, afirmou Bruno.

Junto ao programa “Pacto Pelotas Pela Paz” estão previstos investimentos para a contratação de mais 80 guardas municipais, pela realização de concurso público, e a aquisição de mais 20 viaturas novas, que devem se concretizar até o ano que vem. O Secretário Municipal de Segurança garantiu que parte desse reforço deverá atender a zona rural, ressaltando também que a Prefeitura Municipal está tentando viabilizar a colocação de mais câmeras na cidade, o que inclui os distritos rurais, que serão custeadas com recursos do próprio município.

Também participaram da audiência pública a Delegada da Polícia Civil, Márcia Chiviacowsk, o Administrador do 7° Distrito de Pelotas, Elias Konrath, o representante do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Celmar Raffi, a Sargento da Polícia Rodoviária Estadual, Cláudia de Lima, o representante do Comando Regional Sul da Brigada Militar, Rogério Vasconcelos, o representante do 4° Batalhão da Brigada Militar de Pelotas, Capitão Fábio Mendonça, e a Equipe Técnica do Conselho Superior Socioeconômico de Desenvolvimento e Inovação (Conssedi).

Proposta pretende reforçar a segurança

Catarina Paladini anunciou que nas próximas semanas irá apresentar uma proposta junto a Secretaria Estadual de Segurança Pública que pode viabilizar a liberação de centenas de policiais para atuarem nas ruas dos municípios. De acordo com Catarina, cerca de dois mil policiais trabalham, atualmente, nos setores administrativos das forças de segurança, visto que não há concurso para servidores exclusivos para desempenhar funções administrativas desde 1982. 

“O processo de concurso e de formação dos policiais é bem mais demorado do que o concurso para a contratação de funcionários administrativos. Nossa proposta é que o Governo do Estado realize concurso público para contratar funcionários para o setor administrativo e possa liberar grande parte dos 2 mil policiais, que já estão prontos para trabalhar nas ruas, reforçando a segurança”, explicou Catarina. Ele argumenta, ainda, que a proposta pode trazer economia ao Governo do Estado, beneficiando todas as partes envolvidas, principalmente a população.

Forças de segurança alertam para a importância do registro de ocorrências

Todas as forças de segurança presentes foram unânimes em afirmar a importância do registro do boletim de ocorrências junto à polícia quando os delitos são cometidos, o que, segundo as autoridades, é o fator determinante para o planejamento de estratégias e para a definição das prioridades na área, incluindo operações policiais, reforços no patrulhamento e destinação de investimentos. 

“Quando não há ocorrências, as autoridades deduzem que não há crimes. E se não há criminalidade, consequentemente nossa região não será prioridade quando decidirem para onde vão os recursos, por isso é fundamental que os boletins de ocorrência sejam registrados”, reforçou Catarina Paladini. (Ascom Assembleia e com informações Luis Alexandre Alves)


0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa notícia!

Você é a favor ou contra a compra da Usinde Asfalto para Camaquã, por cerca de R$ 5 milhões?

Você é a favor ou contra o Horário de Verão?

Você é a favor do trânsito na Bento Gonçalves ser única mão, próximo à rótula do Rua 7 de Setembro?

Como você avalia o Governo Ivo, nos três primeiros meses?

Você aprova a alteração de trânsito realizada na Av. Bento Gonçalves esquina com Sete de Setembro?

Você concorda em liberar os CCs de bater ponto, como ocorreu na Câmara de Vereadores da Capital?

O trânsito de Camaquã melhorou com a atuação dos agentes de trânsito?

Vereadores de Camaquã aprovaram o projeto que cria o estacionamento rotativo. Você é: