INFORMATIVO - DEPUTADO MARCON PEDE QUE GOVERNO TOME MEDIDAS EM RELAÇÃO AO BAIXO PREÇO DO LEITE

O deputado federal Dionilso Marcon (PT-RS), titular da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara Federal, afirmou na audiência pública que tratou sobre a cadeia produtiva do leite na terça-feira, dia 15 de agosto de 2017, em Brasília, que a queda de até sete centavos por litro pago aos produtores de leite nos últimos meses, não pode continuar.

De acordo com Marcon, o governo federal precisa retomar as compras públicas de leite. A redução de recursos federais, de $ 196 milhões em 2016, para R$ 50 milhões esse ano, destinados ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) é mais um fator que causou essa queda no preço. “No governo do Temer, não foi comprado nenhum litro de leite dos produtores brasileiros por meio do PAA, isso é um absurdo,” indignou-se Marcon.

Já no Rio Grande do Sul, conforme Marcon, o governador Sartori deve suspender os decretos que criou para diminuir o ICMS do leite importado, facilitando as importações de leite em pó do Mercosul. “Para se ter uma ideia, em 2014 foram importados 48 mil toneladas de leite em pó do Uruguai, em 2016 esse número subiu para 145 mil toneladas. “Já os produtores de leite brasileiros perderam um quarto do mercado de um ano para o outro,” afirmou o deputado.

“Estou indignado com o descaso que o governo Temer e Sartori, ambos do PMDB, têm tratado os nossos produtores de leite. Só no RS, 2.500 famílias já desistiram da produção leiteira. Já os governos do PT, Lula, Dilma e Tarso Genro aqui no RS, tinham políticas de incentivo à cadeia produtiva do leite. No ano de 2012, só no RS, foram gastos 59 milhões em compras de leite do PAA,” destaca Marcon.

Para diminuir a crise, o deputado Marcon sugere que o Governo Federal estabeleça uma cota na quantidade de leite importada de outros países. “Nós precisamos incentivar os nossos pequenos produtores de leite, e não os do Uruguai, da Argentina, etc. O leite é o produto que mais gera impacto na economia dos municípios e que ainda mantém muitos jovens no meio rural, pois, com a venda do produto, todo mês eles tem renda garantida. Precisamos ajudá-los a continuar produzindo alimentos e continuar no meio rural,” explica Marcon. (Assessoria Dep. Marcon)

 

0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa notícia!

Você é a favor ou contra a compra da Usinde Asfalto para Camaquã, por cerca de R$ 5 milhões?

Você é a favor ou contra o Horário de Verão?

Você é a favor do trânsito na Bento Gonçalves ser única mão, próximo à rótula do Rua 7 de Setembro?

Como você avalia o Governo Ivo, nos três primeiros meses?

Você aprova a alteração de trânsito realizada na Av. Bento Gonçalves esquina com Sete de Setembro?

Você concorda em liberar os CCs de bater ponto, como ocorreu na Câmara de Vereadores da Capital?

O trânsito de Camaquã melhorou com a atuação dos agentes de trânsito?

Vereadores de Camaquã aprovaram o projeto que cria o estacionamento rotativo. Você é: