PELOTAS - MIRIAM MARRONI HOMENAGEIA OS 205 ANOS DO MUNICÍPIO

Na sessão plenária da terça-feira, dia 4 de julho, a deputada Miriam Marroni (PT) ocupou o período do Grande Expediente para homenagear sua cidade natal, Pelotas, que completa 205 anos em 7 de julho.

Foi na cidade que a deputada passou a infância e a juventude e entrou para a vida sindical e política. Foi em Pelotas também que nasceram as suas filhas e a sua neta. Mais do que evocar lembranças afetivas, porém, a deputada celebrou as contribuições do município para a cultura, a política e a economia do Rio Grande do Sul e do Brasil.

Miriam resgatou a história do município, desde a chegada dos retirantes da Colônia do Sacramento, em 1763, até os dias atuais, passando pela vinda do cearense José Pinto Martins, que deu origem às charqueadas, e à elevação do povoado à categoria de freguesia em 1812. As charqueadas, segundo a parlamentar, transformaram Pelotas em capital econômica da província.

Passado o período do charque, veio o período do arroz, conforme a deputada. “Produto que ainda caracteriza a cidade”. Depois do arroz, as conservas, com grandes indústrias instaladas. No período da Ditadura, segundo Miriam, vieram o fracasso e a decepção, a frustração de um parque industrial pujante que se viu desorganizado. “Mas o povo pelotense não esmorece, não se entrega e enxerga no comércio, nos serviços e na educação uma nova oportunidade, e assim a cidade se recupera”, disse a parlamentar.

A cidade, ainda conforme a oradora, perdeu, no período pós-Ditadura, a característica “dos grandes palácios, das orquestras, da cultura”, mas se reafirmou depois pelos serviços. Com os governos Lula e Dilma, continuou Miriam, retomaram-se a esperança e a autoestima. A parlamentar referiu um novo ciclo, que potencializou, segundo ela, a identidade dos serviços, do comércio e da educação, entre outros setores. Destacou a indústria de conservas, tendo o pêssego como carro-chefe, bem como os avanços na área da educação, com a triplicação das vagas nas universidades, e a instalação do Polo Naval. Citou nomes importantes da cultura nascidos na cidade, como o escultor Caringi, os músicos Giba Giba, Leopoldo Rassier e os irmãos Ramil, entre outros.

Sobre o momento atual, a deputada avaliou como preocupante, não só para a cidade, mas para todo o país. “Independentemente disso, Pelotas é uma cidade com potencial, de gente trabalhadora, que arregaça as mangas e supera a crise”, disse. Como desafios, ela citou as lutas contra a reforma da previdência e a reforma trabalhista e pela continuidade da duplicação da BR-116 e dos arranjos produtivos locais.

Pronunciaram-se em apartes os deputados João Fischer (PP), Manuela d’Ávila (PCdoB), Vilmar Zanchin (PMDB), Zé Nunes (PT), Pedro Pereira (PSDB), Regina Becker Fortunati (Rede), Missionário Volnei (PR) e Sérgio Peres (PRB). (Assembleia Legislativa - Foto: Marcelo Bertani)

 

0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa notícia!

Você é a favor ou contra a compra da Usinde Asfalto para Camaquã, por cerca de R$ 5 milhões?

Você é a favor ou contra o Horário de Verão?

Você é a favor do trânsito na Bento Gonçalves ser única mão, próximo à rótula do Rua 7 de Setembro?

Como você avalia o Governo Ivo, nos três primeiros meses?

Você aprova a alteração de trânsito realizada na Av. Bento Gonçalves esquina com Sete de Setembro?

Você concorda em liberar os CCs de bater ponto, como ocorreu na Câmara de Vereadores da Capital?

O trânsito de Camaquã melhorou com a atuação dos agentes de trânsito?

Vereadores de Camaquã aprovaram o projeto que cria o estacionamento rotativo. Você é: