CAMAQUÃ - ZÉ NUNES COORDENOU AUDIÊNCIA NO MUNICÍPIO, PARA DEBATER FUTURO DO BANRISUL

Mais de noventa pessoas participaram, na noite da segunda-feira, dia 10 de julho, da audiência pública da Frente Parlamentar em Defesa do Banrisul Público em Camaquã.

O oitavo encontro regional da Frente debateu a ameaça de privatização ou federalização do banco, agravada pela inclusão da instituição financeira, da Corsan e da Procergs no projeto de consulta plebiscitária sobre a venda de estatais, por emenda de deputado da base aliada ao governo Sartori.

O coordenador da Frente, deputado Zé Nunes (PT), reafirmou que o Estado não tem necessidade de vender o Banrisul como forma de obter recursos para, por exemplo, garantir o pagamento dos salários do funcionalismo ou ceder às condições da negociação da dívida do RS com a União. Ele lembrou que a compensação dos créditos da Lei Kandir garantiria os recursos necessários e que o Executivo deveria enfrentar a sonegação de impostos e rever a política de desonerações (ver dados abaixo).

“O que explica esta decisão é o alinhamento dos governos estadual e federal ao projeto neoliberal, ao modelo de redução das funções do Estado e de venda de patrimônio público”, afirmou, acrescentando que a Frente Parlamentar surgiu com um percurso de resistência de médio e longo prazo a tentativas de mudar o caráter público do banco.

Entre os encaminhamentos aprovados estão a sugestão de apresentação de moções de repúdio à venda do Banrisul e criação de espaços locais para descentralizar o debate sobre o futuro da instituição.

Além de Zé Nunes, participaram da audiência o deputado federal Elvino Bohn Gass, representante do deputado Juliano Roso, o vice- prefeito de Camaquã, Jair Martins, os prefeitos de Chuvisca, Joel Sudba, e de Dom Feliciano, Clenio Boeira da Silva, vereadores, sindicatos dos Municipários, de servidores da Corsan, dos Bancários e Cpers e a Fetraf.

O Banrisul em números:

537 agências.

Única agência bancária em 96 municípios gaúchos.

Cobertura de 98,5% da população do RS.

Lucro de R$ 659,7 milhões em 2016.

Um dos 200 maiores grupos econômicos do Brasil.

Em 2016 realizou:

- R$ 2,5 bilhões crédito agrícola.

-25 bilhões de transações no Vero.

-9,8 bilhões de operações no Banricompras.

Dividendos:

De 2007 a 2016 repassou R$ 2,8 bilhões em dividendos para o estado do RS.
Desde a venda de 43% das ações, em 2007, deixou de repassar R$ 849 milhões em dividendos.

Sonegação no RS – Dados da Associação dos Técnicos Tributários do RS (Afocefe):
- 2016- R$ 7,8 bilhões.

Renúncia fiscal em 2015:  R$ 16,4 bilhões (ver discriminação abaixo), o equivalente a 13 folhas de pagamento do funcionalismo ou três vezes o déficit do Estado, que é de R$ 4,9 bilhões.

- R$ 8,9 bilhões em desonerações;

-R$ 3,6 bilhões em perdas de ICMS com exportações;

-R$ 3,9 bilhões em perdas de ICMS derivadas da lei Kandir.

Compensação das perdas da lei Kandir (créditos que o Estado tem a receber do governo federal): R$ 48 bilhões. 

0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa notícia!

Você é a favor ou contra a compra da Usinde Asfalto para Camaquã, por cerca de R$ 5 milhões?

Você é a favor ou contra o Horário de Verão?

Você é a favor do trânsito na Bento Gonçalves ser única mão, próximo à rótula do Rua 7 de Setembro?

Como você avalia o Governo Ivo, nos três primeiros meses?

Você aprova a alteração de trânsito realizada na Av. Bento Gonçalves esquina com Sete de Setembro?

Você concorda em liberar os CCs de bater ponto, como ocorreu na Câmara de Vereadores da Capital?

O trânsito de Camaquã melhorou com a atuação dos agentes de trânsito?

Vereadores de Camaquã aprovaram o projeto que cria o estacionamento rotativo. Você é: