IMPACTO NEGATIVO DA PROSCRIÇÃO RUSSA CONTRA AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ

Confira o resumo do impacto negativo da proscrição russa contra as Testemunhas de Jeová

>> Abusos do Governo Russo e Restrições de direitos Humanos

Acusações Criminais

No dia 25 de maio de 2017, a FSB invadiu um serviço religioso das TJ na cidade de Oryol e apreendeu o cidadão dinamarquês Dennis Christensen sob custódia. Ele está sob detenção em pré-julgamento até dois meses, aguardando a finalização da investigação criminal. Ele corre o risco de permanecer preso de 6 a 10 anos por atividade considerada extremista como reza o Artigo 282.2, parte 1, do Código Criminal simplesmente por participar das atividades religiosas das Testemunhas de Jeová.

Avisos Oficiais com Ameaças Criminosas ou Perseguição Administrativa

No dia 4 de maio de 2017 a promotoria publicou um aviso ao Presidente da Congregação das Testemunhas de Jeová. O documento se baseava no julgamento da Corte Suprema de 20 de abril de 2017 e avisava que tanto o presidente quanto os membros da Congregação podem estar sujeitos a uma acusação de responsabilidade administrativa e criminal por manter serviços religiosos.

A polícia invade Serviços Religiosos Privados das Testemunhas de Jeová

Durante as últimas seis semanas, oficiais da lei invadiram pelo menos 18 serviços religiosos das Testemunhas de Jeová.

Ameaças a Pais e Filhos

No dia 17 de abril de 2017, na Vila de Bolshekrepinskaya, Rostov Region, diretor da escola e dois policiais se reuniram em particular na escola com a filha de uma Testemunha de Jeová, de 14 anos de idade, relatando à jovem que sua mãe fazia parte de uma “organização terrorista” cujos membros aprendiam a assassinar pessoas e roubá-las. A linguagem brutal usada para descrever as Testemunhas como terroristas fez a garota chorar.

A Recusa de Aceitar a Alternativa Para o Serviço Civil

Em 28/4/2017 a Comissão Compulsória da área de Cheboksary e Marposadskiy rejeitou o pedido de serviço alternativo para uma Testemunha. A Comissão chamou as TJ de “extremistas” e indignas do serviço alternativo.

>> Abusos Sociais e Discriminação

Atos de Violência, Incêndio Criminoso e Vandalismo

Em 24/5/2017, em Zheshart, República de Komi, um edifício usado pelas Testemunhas de Jeová para serviços religiosos foi incendiado. Restos dum coquetel Molotov foram achados no local. Em 30/4/2017, em Lutsino, perto de Moscou, a casa duma família de Testemunhas foi queimada totalmente num incêndio criminoso.

Demissões Empregatícias

Em 15/5/2017, a diretoria duma fábrica química em Dorogobuzh, área de Smolensk Region, disse aos empregados que eram Testemunhas de Jeová que as ordens da FSB era despedir todas elas. A diretoria deu às Testemunhas a opção de pedir a conta ou serem despedidas.





PROSCRIÇÃO DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NA RÚSSIA - VEJA ABAIXO TODOS OS FATOS



O julgamento na Corte Suprema Russa em 20 de abril de 2017 causa impacto negativo. Os abusos do Governo Russo e suas restrições aos direitos humanos

Acusações Criminais


> 25 de Maio de 2017, em Orel, Área de Orel


Pelo menos 15 policiais fortemente armados, incluindo a FSB interrompeu um serviço religioso. Afirmaram que um caso criminoso havia iniciado sob o Artigo 282.2 do Código Criminal pela continuação duma organização “extremista”. (Em Orel, local da congregação das Testemunhas, tinha sido banido como extremista desde 10/2/16.) A polícia levou sob custódia o cidadão dinamarquês Dennis Christensen. Levaram cópias dos documentos de identidade de todos os ali reunidos e exigiram deles declarações por escrito. Depois a polícia realizou buscas nas residências de Testemunhas de Jeová em Orel. O Sr. Christensen passou a noite detido sob a custódia do FSB. Em 26/5/2017, às 3 da tarde a Corte Distrital Sovietsky concedeu o pedido do FSB e determinou que o Sr. Christensen fosse preso numa detenção ante-julgamento por 2 meses para que a FSB completasse a investigação.

Avisos oficiais ameaçam perseguição criminal ou administrativa

> 30 de Março de 2017, em Yekaterinburg, Região de Sverdlovsk

A acusação enviou uma advertência oficial à Organização das Testemunhas de Jeová em Yekaterinburg. O documento baseava-se na ordem de 15/3/17 do Ministério da Justiça que suspendia a atividade do Centro Administrativo e todos os 395 Salões do Reino. Avisava que toda a presidência e os membros deveriam considerar ilegais seus serviços religiosos.

> 1.º de Abril de 2017, em Tyulgan, Região de Orenburg

A acusação publicou um anúncio no jornal orientando os cidadãos a relatar quaisquer atividades das TJ aos oficiais da lei.

> 3 de Abril de 2017, em Petropavlovsk- Kamchatsky, Território de Kamchatka

O escritório do promotor enviou um aviso ao Salão de Petropavlovsk-Kamchatsky das Testemunhas de Jeová. O documento falava da ordem de 15/3/17 do Ministério da Justiça que suspendia as atividades do Centro Administrativo de todos os 395 Salões. Avisava que o presidente e todos os membros estavam sujeitos a serem perseguidos sob o Código das Violações Administrativas, se continuassem com suas atividades religiosas.

> 11 de Abril de 2017, em Podporozhye, Leningrad Oblast

O promotor decretou um aviso que agora as TJ não podem mais manter serviços religiosos incluindo sua sagrada celebração anual, o Memorial da morte de Jesus Cristo. O documento baseia-se na ordem do Ministro da Justiça, em 15/3/17, a suspensão da atividade do Centro Administrativo e todos os 395 Salões do Reino. Advertiu que manter serviços religiosos está proibido de acordo com o Artigo 20.28 do Código de Violações Administrativas.

> 11 de Abril de 2017, em Vyborg e Roshchino, Região de Leningrad

A promotoria decretou um aviso proibindo as Testemunhas de conduzir serviços religiosos nas cidades de Vyborg e Roshchino.

> 11 de Abril de 2017, em Tikhvin, Região de Leningrad

O promotor e deputado da cidade decretou um aviso proibindo as Testemunhas de Jeová de realizar serviços religiosos na cidade.

> 11 de Abril de 2017, em Anapa, Território de Krasnodar

O promotor e deputado da cidade decretou um aviso proibindo as Testemunhas de Jeová de realizar serviços religiosos na cidade.

> 12 de April 2017, Krasnoturyinsk, Região de Sverdlovsk


O promotor e deputado da cidade decretou um aviso proibindo as Testemunhas de Jeová de realizar serviços religiosos na cidade

> 21 de Abril de 2017, em Pervouralsk, Região de Sverdlovsk

A promotoria advertiu o Presidente do Salão do Reino de Pervouralsk. O documento baseou-se no julgamento no Supremo Tribunal. O Presidente e todos os membros da Congregação estão passivos de crime pelo Artigos 282.2 (1), 282.21.(1) e 282.(2) do Código Criminal caso continuem ativos no Salão do Reino ou tentem persuadir ou recrutar outros para participar nessa atividade.

> 26 de Abril de 2017, em Irbit, Região de Sverdlovsk

A promotoria advertiu a Congregação das Testemunhas de Jeová em Irbit. O documento de 15/3/17 mostra a ordem do Ministro da Justiça suspendendo a atividade do Centro Administrativo e todos os 395 Salões. Também advertiu que os membros da congregação podem estar sujeitos a crime administrativo por manter serviços religiosos.

> 4 de Maio de 2017, em Krymsk, Território de Krasnodar

A promotoria advertiu o presidente do Salão Krymsk das Testemunhas de Jeová. O documento baseou-se no julgamento da Corte Suprema em 20/4/17 e advertiu que o presidente e membros do Salão podem estar sujeitos a responsabilidade administrativa e criminal por manter serviços religiosos.

> 10 de Maio de 2017, em Sergiyev, Posad, Região de Moscow

A promotoria advertiu o presidente do Salão Sergiy Posad das Testemunhas de Jeová. O documento baseou-se na ordem de 15 de março de 2017 do Ministério da Justiça suspendendo as atividades do Centro Administrativo e todas as 395 Congregações. Foi avisado que o presidente e membros do Salão podem ser julgados de acordo com o Artigo 20.28 do Código de Violações Administrativas.

> 12 de Maio de 2017, em Novorossiysk, Território de Krasnodar

A promotoria despachou um aviso à Congregação das Testemunhas em Novorossiysk com respeito ao planejamento de uma convenção religiosa. O documento lembrava o julgamento de 20 de abril de 2017 perante a Suprema Corte e avisava que seus membros estariam sujeitos a uma penalidade criminal sob o Artigo 282.2 do Código Criminal se continuassem agindo como uma organização extremista, incluindo por manter serviços religiosos.

> 18 de Maio de 2017, em Aleysk, Território Altai

A promotoria despachou um aviso ao Presidente da Congregação Aleysk das Testemunhas de Jeová. O documento lembrava o julgamento de 20 de abril de 2017 na Suprema Corte e lembrava que tanto o Presidente quanto os membros da Congregação poderiam estar sujeitos a uma penalidade criminal se continuassem agindo como uma organização extremista, incluindo por manter serviços religiosos.

Policiais invadem Serviços Religiosos Privados das Testemunhas de Jeová

> 4 de Abril de 2017, em Tavda, Região de Sverdlovsk

Seis policiais, incluindo alguns do FSB e a promotoria local interromperam uma reunião religiosa com 30 pessoas presentes. Um policial leu, defronte ao Salão do Reino (local de adoração), a ordem de 15/março/2017 do Ministério da Justiça que suspendia a atividade do Centro Administrativo. A polícia determinou o fim do serviço religioso. Eles anotaram as identidades de todos da assistência e depois retiraram todos do local.

> 8 de abril de 2017, em Zainsk, República de Tatarstan

Um grupo de policiais invadiu um local de adoração e interrompeu o serviço religioso, insistindo em obter declarações por escrito da plateia e depois lavraram autuações para investigação posteriores.

> 8 de abril de 2017, em Bugulma, República de Tatarstan

Um grupo de policiais forçou a entrada num local de adoração e interrompeu o serviço religioso, insistiram em obter relatos por escrito da assistência e depois marcaram datas para investigação posterior.

> 9 de abril de 2017, em Millerovo, Região de Rostov

Um grupo de policiais chegou a um lugar de adoração no final do serviço religioso. A polícia quis saber quem organizou o serviço, já que as atividades das Testemunhas de Jeová tinha sido suspensa através da ordem do Ministro da Justiça de 15/3/2017.

> 9 de abril de 2017, em Salsk, Região Rostov

Um grupo de policiais chegou ao lugar de adoração exigindo conduzir uma “inspeção” baseada na permissão do promotor local.

> 11 de abril de 2017, em Michurinsk, Região de Tambov

Na conclusão dum serviço religioso, a polícia intimou todos os presentes e exigiu que eles fossem à promotoria para prover declarações escritas com respeito às suas atividades religiosas.

> 11 de Abril de 2017, em Vila de Kazanskaya, Região de Rostov

A polícia chegou no final dum serviço religioso e perguntou aos presentes quanto ao conteúdo da reunião e quem a organizou.

> 12 de Abril de 2017, em Chelyabinsk, Região de Chelyabinsk

Policiais mascarados e fortemente armados, junto com a Guarda Nacional e jornalistas interromperam um serviço religioso. Um oficial leu a Ordem de Suspensão do Ministro da Justiça de 15/3/17 que declara as reuniões das Testemunhas ilegais. A notícia pode ser visto no site: https://youtu.be/pPj-VnT2pIw

> 13 de Abril de 2017, em Mezhdurechensk, Região de Kemerovo

Policiais e representantes da administração municipal interromperam um serviço religioso. Eles questionaram os presentes sobre as crenças das Testemunhas de Jeová e anotaram os nomes dos membros da Congregação.


> 14 de Abril de 2017, em Severobaykalsk, República de Buryatia

Policiais e representantes da FSB invadiram um lugar de adoração durante um serviço religioso exigindo saber quem organizou a reunião e relatos por escrito de todos os presentes.

> 16 de Abril de 2017, em Kotovo, Região de Volvograd

A polícia interrompeu um serviço religioso. Fizeram cópias das identificações de todos os presentes e também tiraram fotos de todos os veículos estacionados lá fora bem como os números das chapas.

> 18 de Abril de 2017, em Yalta, República de Crimea

No fim do serviço religioso, o Ministro do Interior e o promotor entraram no local de adoração para fazer uma inspeção. Eles afirmaram que o objetivo era determinar quem era o responsável pela organização do serviço religioso.

> 22 de Abril de 2017, em Dzhankoy, República da Crimea

O promotor da cidade e vários policiais chegaram no fim dum serviço religioso. Insistiram que as Testemunhas de Jeová haviam violado a decisão da Suprema Corte de 20/4/17 por manter o serviço religioso. Após a busca, a polícia bloqueou o local de adoração para que não possa ser utilizado.

> 23 de Abril de 2017, em Vila de Yermakovskoye, Krasnoyarsk

A polícia interrompeu um ato religioso. Justificaram suas ações com a decisão da Suprema Corte em 20/4/17.

> 30 de Abril de 2017, em Pavlovskiy Posad, Região de Moscow

Mais de dez policiais à paisana interromperam um serviço religioso, anunciando que de acordo com uma decisão da Corte Suprema em 20/4/17 as Testemunhas não teriam mais direito a se ajuntar ou ler a Bíblia. Os policiais filmaram todos os presentes e fizeram cópias de seus documentos.

> 30 de April 2017, em Krymsk, Território de Krasnodar

No fim dum serviço religioso, 10 policiais queriam inspecionar o lugar de adoração. Queriam saber quem organizava o serviço. A polícia se referiu à decisão da Corte Suprema e disse que as Testemunhas de Jeová não podem se reunir.

> 3 de maio 2017, em Vila de Olginskaya, Krasnodar

A polícia interrompeu uma reunião numa casa particular. Eles disseram que se as Testemunhas de Jeová continuassem a se reunir eles seriam acusados de atividade extremista.

> 4 de maio 2017, em Vila de Bekhteyevka (cidade de Korocha), Região de Belgorod

A polícia interrompeu um serviço religioso. Eles interrogaram todos na assistência e levaram cópias de seus documentos.

Ameaças aos pais e seus filhos

> 17 de Abril de 2017, em Vila de Bolshekrepinskaya, Região de Rostov

Uma das Testemunhas de Jeová foi chamada pelo diretor da escola onde sua filha de 14 anos frequenta. O diretor e outros professores insultaram a mãe, também Testemunha, relatando que ela leva a filha para assistir a reuniões de uma organização terrorista. Eles ameaçaram entregar a mãe à polícia. Dois dias depois, no dia 19/4/17, a polícia foi ao local de trabalho da mãe e ofenderam-na com obscenidades. Naquela mesma hora, os professores, um policial e um oficial em trajes civis (provavelmente da FSB), encontrou-se com a filha de 14 anos na escola e relataram que sua mãe era membro duma organização terrorista onde ‘aprendem a matar pessoas e roubar coisas delas’.

> 24 de Abril de 2017, em Vila de Bezvodnoye, Região de Kirov

Durante uma aula de música, uma professora humilhou duas filhas do sexto grau de uma mãe que é Testemunha de Jeová. Quando a mãe foi à escola para discutir o incidente com a professora, ela justificou suas ações declarando que as Testemunhas de Jeová estão banidas na Rússia.

> 17 de Maio de 2017, em Vila de Tomilino, Região de Moscow

Os pais duma garota de 8 anos receberam um aviso por escrito do diretor da escola baseado na decisão da Suprema Corte de 20/4/17. O aviso dizia que os pais estavam proibidos de “tomar decisões” que não se aplicam à educação correta de seus filhos e que se tal proibição for violada a escola relatará o caso à polícia e considerará a possibilidade de “transferir a criança a outra forma de treinamento”.

Recusa de pedido de serviço civil alternativo

> 20 de Abril de 2017, em Zelenodolsk, República de Tatarstan

A Comissão de Alistamento Compulsório de Zelenodolsk negou o pedido de serviço alternativo para uma das Testemunhas de Jeová. Tudo porque as Testemunhas de Jeová foram banidas da Corte Suprema como “extremista”.

> 28 de Abril de 2017, em Vila de Kugesi, República de Chuvash

A Comissão de Alistamento Compulsório de Cheboksary e Marposadskiy negaram o pedido de serviço alternativo para uma das Testemunhas de Jeová porque as acham extremistas e não podem obter serviço alternativo. A Comissão ameaçou levar o caso ao FSB para investigação.

> 12 de Maio de 2017, em Shumerlya, República de Chuvash

A Comissão de Alistamento Compulsório da cidade de Shumerlya rejeitou o mesmo pedido para uma das Testemunhas de Jeová. A Comissão baseia sua rejeição na decisão da Corte Suprema em 20/4/17.

Abusos sociais e discriminação

Atos de violência, incêndios criminosos e vandalismo


> 26 de Abril de 2017, em Belgorod, Região de Belgorod

Uma das Testemunhas de Jeová foi atacada ao sair de casa. O criminoso gritou: “Vocês foram banidos!” e esmurrou a Testemunha repetidamente na cabeça, no rosto e na parte superior do corpo.

> 30 de Abril de 2017, em Lutsino, Região de Moscow

Um vizinho incendiou a casa duma família de Testemunhas de Jeová. Ele berrava que as Testemunhas faziam propaganda de sua religião. Em 20 minutos, a casa das Testemunhas de Jeová e a casa vizinha onde viviam seus pais idosos viraram um monte de cinzas.

> 7 de Maio de 2017, em Tyumen, Região de Tyumen

Durante uma reunião das Testemunhas de Jeová, um bando de homens entrou, usando linguagem obscena e ameaçou os presentes com violência. Eles berravam dizendo que tinham matado pessoas em operações militares. Eles justificaram suas ameaças com base na decisão da Suprema Corte de 20/04/2017.

> 24 de Maio de 2017, em Zheshart, República de Komi

Um edifício usado pelas Testemunhas de Jeová para seus serviços religiosos é destruído por incêndio criminoso. Foram achados restos de um coquetel molotov no local.

Dispensas empregatícias

> 3 de April de 2017, em Ilyinskiy, Região de Perm

Uma Testemunha de Jeová, operário do Distrito Municipal de Llyinsky, é obrigado a comparecer no escritório do Chefe do Distrito Municipal, que diz que ela está violando uma lei federal de atividade extrema e que se não abandonar a religião, ela será fuzilada.

> 26 de April de 2017, em Mineralnye Vody, Território de Stavropol

Uma Testemunha de Jeová, funcionário duma firma de segurança, é chamado pelo seu chefe que lhe dá um ultimato. Ou ele pede as contas ou o chefe faria da vida dele uma miséria. O chefe disse que a culpa era dele, por ser uma Testemunha de Jeová.

> 4 de Maio de 2017, em Vila de Yashkino, Região de Kemerovo

Dois policiais à paisana abordaram uma Testemunha de Jeová em seu emprego dizendo que as Testemunhas foram banidas como extremistas e que eles estavam coletando informação de todas as Testemunhas da vila. A polícia difamou as Testemunhas de Jeová por compará-las com o ISIS, afirmando que a atitude da polícia era justa, por protegerem as crianças da propaganda delas.

> 15 de Maio de 2017, em Dorogobuzh, Região de Smolensk

A gerência de uma indústria química que empregou vários funcionários que eram Testemunhas de Jeová, relatou que eles tinham recebido ordens do FSB para despedi-las. A gerência deu às Testemunhas de Jeová a opção de pedir as contas ou serem despedidas.

> 16 de Maio de 2017, em Novokubansk, Território de Krasnodar

Uma das Testemunhas de Jeová que trabalham num Jardim de Infância foi chamada por seu patrão. Ele relatou que as Testemunhas de Jeová haviam sido declaradas “extremistas” e que ela seria despedida imediatamente.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa notícia!

Você é a favor do trânsito na Bento Gonçalves ser única mão, próximo à rótula do Rua 7 de Setembro?

Como você avalia o Governo Ivo, nos três primeiros meses?

Você aprova a alteração de trânsito realizada na Av. Bento Gonçalves esquina com Sete de Setembro?

Você concorda em liberar os CCs de bater ponto, como ocorreu na Câmara de Vereadores da Capital?

O trânsito de Camaquã melhorou com a atuação dos agentes de trânsito?

Vereadores de Camaquã aprovaram o projeto que cria o estacionamento rotativo. Você é: