TAPES - POPULAÇÃO SE ORGANIZA NAS REDES SOCIAIS E PINTA 430 BURACOS NA RS 717

Nada mais, nada menos, do que cerca de 430 buracos foram demarcados com tinta branca na tarde da terça-feira, dia 15 de janeiro, em Tapes, por volta das 19 horas, nos 14 km da Rodovia ERS 717, a qual liga a entrada da cidade à BR 116, por populares e empresários, indignados com a perigosa situação com que se encontra a rodovia estadual.

A iniciativa nasceu nas redes sociais, mais ganhou proporções, após um acidente com morte na tarde da segunda-feira, dia 14 de janeiro, na altura do Distrito Industrial, próximo a empresas de arroz, onde um motorista de 57 anos, natural de Cerro Grande do Sul, veio a colidir seu veículo e falecer, contra um caminhão.

Sob este ingrediente, um grupo de mais de 200 tapenses se mobilizou e, organizou um pacífico protesto, visando chamar a atenção da classe política local para que esta pressione as autoridades estaduais, demonstrando o alto risco a que os motoristas estão sendo submetidos diariamente neste curto e angustiante trajeto que liga a cidade aos grandes centros urbanos.

Segundo um dos promotores da mobilização, o consultor na área ambiental, Rafael Fernandes, o protesto teve por objetivo de reunir a comunidade e divulgar nas redes sociais e na mídia a “caótica” condição em que se encontra a rodovia em Tapes.

“Serviu também como forma de sinalizar e prevenir novos acidentes como o que ocorreu ontem, segunda-feira (14), com resultado de uma morte”, afirmou Fernandes.

Outra organizadora da ação de protesto, a advogada, Jussara Stockinger, que reside em Tapes, ao final do trabalho, manifestou com alegria o apoio recebido e contou nas redes sociais da sua satisfação de cidadã de possibilitar a realização de um ato deste porte.

Estiveram envolvidos na pintura dos buracos na rodovia pessoas de todos os setores da sociedade. Todos foram unânimes em afirmar que a condição da rodovia é uma das mais críticas dos últimos tempos e lamentaram que a atual operação “tapa-buracos” do DAER, seja insatisfatória e que a mesma deva ser fiscalizada, em razão da baixa qualidade do material que está sendo depositado na pista.

O trecho de responsabilidade do DAER passa por uma ação judicial, ainda sem decisão, em razão de uma obra, em 2008, ainda durante o Governo de Yeda Crusius, ter sido mal feita.

Nas redes sociais, onde o protesto ganhou força, as manifestações são muitas. Segundo o funcionário de uma empresa, Paulo Ricardo, somente o protesto não basta mais. “Mais do que um protesto na rodovia, que serve para sinalizar os buracos, quem deveria demarcar os pontos críticos seria o DAER. Se eles não podem arrumar, pelo menos coloquem umas placas bem grandes, avisando dos pontos críticos, além de cones, no meio da pista para os motoristas diminuírem a velocidade”, desabafou o cidadão tapense.

Por fim, o servidor público, José Roberto Souza Garcia, que colaborou com a pintura dos buracos, fez a questão de além de ajudar na manifestação, contar o número de buracos existentes desde a entrada da cidade, trecho compreendido do CTG Província São Pedro até a Esquina de Tapes, na BR 116.

Toda a ação dos moradores de Tapes foi supervisionada pela Polícia Rodoviária Estadual. Não houve incidentes.
(Texto: Bira Costa/Repórter-DRT 9299 - Fotos: Claudia Bischoff)







1 comentários:

Postar um comentário

Comente essa notícia!

Você é a favor ou contra a compra da Usinde Asfalto para Camaquã, por cerca de R$ 5 milhões?

Você é a favor ou contra o Horário de Verão?

Você é a favor do trânsito na Bento Gonçalves ser única mão, próximo à rótula do Rua 7 de Setembro?

Como você avalia o Governo Ivo, nos três primeiros meses?

Você aprova a alteração de trânsito realizada na Av. Bento Gonçalves esquina com Sete de Setembro?

Você concorda em liberar os CCs de bater ponto, como ocorreu na Câmara de Vereadores da Capital?

O trânsito de Camaquã melhorou com a atuação dos agentes de trânsito?

Vereadores de Camaquã aprovaram o projeto que cria o estacionamento rotativo. Você é: